Nasa verifica novamente lacres de ônibus espaciais

Agência avalia a qualidade de um lote de anéis-O, o mesmo tipo de peça que causou o desastre da Challenger

Associated Press,

20 Julho 2007 | 18h51

Engenheiros da Nasa estão examinando novamente lacres, conhecidos como anéis-O, que ficam entre os foguetes externos do ônibus espacial, porque lotes recentes mostraram uma porcentagem além do normal de borracha pura.   Esses lacres são uma fonte especial de preocupação para a Nasa desde que foram responsabilizados pelo desastre do ônibus espacial Challenger, em 1986, que matou sete astronautas, incluindo a professora Christa McAuliffe.   O Challenger explodiu 73 segundos após a decolagem, quando os lacres, que haviam enrijecido por conta do tempo frio, permitiram que gases aquecidos escapassem do foguete e inflamassem o combustível.   Faixas de borracha muito largas, ou muito próximas, podem levar ao enrijecimento dos lacres. A reserva de McAuliffe para o vôo da Challenger, Barbara Morgan, está na tripulação do Endeavour, que deve partir em 7 de agosto para uma missão à Estação Espacial Internacional (ISS).    Engenheiros da Nasa estão realizando verificações para garantir que os anéis-O dos foguetes do Endeavour não saíram dos lotes sob suspeita.   Um porta-voz da Nasa afirma que a expectativa é de que o resultado seja negativo. "Não é nada grave", disse Rob Navias. "Temos toda a expectativa de que não afetará o lançamento".

Mais conteúdo sobre:
ônibus espacial nasa endeavour

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.