Natal não impulsiona economia da zona do euro no 4º tri

A queda do investimento empresarial e a relutância dos consumidores em gastar até mesmo no Natal prejudicaram a economia da zona do euro nos últimos três meses do ano, o que autoridades esperam que tenha sinalizado o pior da recessão do bloco.

Reuters

06 de março de 2013 | 07h58

A produção econômica dos 17 países que compartilham o euro caiu 0,6 por cento no quarto trimestre de 2012 na comparação com os três meses anteriores, informou nesta quarta-feira a agência de estatísticas da União Europeia (UE), Eurostat, confirmando a leitura preliminar e marcando a maior queda trimestral num ano de contração.

Na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o Produto Interno Bruto registrou contração de 0,9 por cento no quarto trimestre de 2012.

Como esperado, a zona do euro encerrou o ano em sua segunda recessão desde 2009, uma realidade já bem conhecida para milhões de europeus sofrendo com desemprego recorde e com a crise da dívida que quase levou o bloco monetário ao colapso no ano passado.

A Eurostat desmembrou os números, mostrando a Alemanha como a única grande economia da zona do euro que cresceu no trimestre, apesar de a expansão ter desacelerado, enquanto França, Espanha e Itália tiveram contração.

No geral, os gastos do governos não contribuíram para o Produto Interno Bruto (PIB) no último trimestre de 2012, destacando a austeridade liderada pela Alemanha que visa a cortar déficits orçamentários, mas que muitos economistas dizem estar aprofundando a recessão.

A falta de gastos pelas famílias cortou 0,2 ponto percentual do número trimestral do PIB, e o investimento empresarial também pesou sobre a produção pela mesma margem.

(Reportagem de Robin Emmott)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROZONADOEUROPIBATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.