Naufrágio de balsa deixa pelo menos 29 mortos na Indonésia

Embarcação enfrentou ondas de mais de três metros; pescadores ajudam nas buscas de 17 desaparecidos

, O Estadao de S.Paulo

23 de novembro de 2009 | 00h00

O naufrágio de uma balsa na Ilha de Sumatra, Indonésia, deixou 29 mortos e 17 pessoas desaparecidas ontem, segundo autoridades locais. O acidente ocorreu depois que uma tempestade surpreendeu o chefe da embarcação. Aproximadamente 250 passageiros foram resgatados com vida.

"Havia 294 pessoas na balsa", disse o responsável pelo centro de gerenciamento de crises do Ministério da Saúde indonésio, Rustam Pakaya. Segundo ele, o mau tempo e a falta de luminosidade impediram que mais vidas fossem salvas na noite de domingo.

A balsa afundou às 22 horas (horário local), quando estava próxima do atracadouro de Karimun, uma pequena ilha localizada na entrada no Estreito de Malaca, um importante corredor marítimo do Sudeste asiático, entre a Península Malaia e a ilha de Sumatra.

A embarcação "provavelmente foi vítima das fortes chuvas e do mar agitado", disse Boy Herlambang, porta-voz da polícia local. O serviço de meteorologia registrou ondas de mais de três metros que podem ter encoberto a balsa, desequilibrando-a antes do naufrágio, segundo o porta-voz da Marinha indonésia Iskandar Sitompul.

O mau tempo nesta parte da Ásia é comum no fim do ano, quando a região é afetadas por fortes monções que acompanham o período de chuvas e tempestades prolongadas.

Como a balsa já estava perto da costa, as equipes de resgate puderam entrar em ação rapidamente. Muitos passageiros foram resgatados por pescadores que lançaram coletes e boias às pessoas que gritavam por socorro na água.

Sunaryo disse que o governo abrirá uma investigação para descobrir se houve "excesso de passageiros na embarcação", o que "seria intolerável", considerando que o capitão sabia da possibilidade de haver fortes chuvas na região.

Também ontem, durante a manhã, outra balsa da mesma empresa de navegação, com 270 passageiros, enfrentou dificuldades no trajeto entre Dumai e a Ilha Moro devido ao mau tempo.

Os naufrágios são comuns na Indonésia, um imenso arquipélago de 17 mil ilhas nas quais vivem 234 milhões de pessoas. O deslocamento de pessoas e cargas é impensável sem os inúmeros serviços de barcos e balsas disponíveis no país.

Em janeiro do ano passado, 335 pessoas morreram quando uma balsa afundou próximo da Ilha de Sulawesi. Em dezembro de 2006, 400 morreram em naufrágio em Java.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.