Naufrágio em SC deixa 5 desaparecidos

Até às 18h20 desta quarta-feira, 4, as equipes de resgate ainda procuravam os cinco tripulantes desaparecidos no naufrágio de um barco pesqueiro em São Francisco do Sul, no litoral norte de Santa Catarina. De acordo com a Capitania dos Portos, o acidente aconteceu por volta da 1 hora próximo à Ilha dos Tamboretes, a 4 milhas de distância da costa. Outras 12 pessoas que estavam na embarcação conseguiram se salvar, foram atendidas e passam bem.

TOMAS PETERSEN, ESPECIAL PARA A AE, Agência Estado

04 de setembro de 2013 | 19h24

Durante a tarde, o Corpo de Bombeiros de Florianópolis auxiliou nas buscas com o helicóptero Arcanjo, que sobrevoou as proximidades do local. Às 14h30, a tripulação do aparelho encontrou possíveis destroços, que não foram confirmados como pertencentes ao pesqueiro Vô João G. A Capitania dos Portos divulgou a lista com os nomes dos tripulantes. Os cinco desaparecidos são: Cedenir do Nascimento, Rudnei Peixoto, Emerson Luiz, Laureci Batista e Carlos Alberto, cujo sobrenome é desconhecido. Junto com os outros 12 sobreviventes, eles estavam a caminho do Rio.

O barco pertencia à empresa J.Gonçalves, da capital catarinense, e era licenciado para a pesca de tainha. Tinha 28 metros de comprimento e 6,8 de largura. Segundo o comandante Mario Sérgio Jacinto, o mar estava agitado e uma onda virou a embarcação. Nesta terça-feira, 3, dia anterior ao naufrágio, o centro de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) divulgou um boletim alertando para rajadas de ventos de até 80km/h e agitação em toda a costa.

No sábado, 31, outra embarcação virou no litoral catarinense, em Balneário Barra do Sul, cidade que fica na jurisdição da Capitania dos Portos de São Francisco do Sul. Na ocasião, quatro pessoas saíram para pescar camarão. A 8 quilômetros da costa, uma rede se prendeu a uma pedra e o barco virou. Um jovem de 24 anos não conseguiu se salvar. Na terça-feira, a Capitania dos Portos havia anunciado o cancelamento das buscas. Nos dois casos, inquéritos foram abertos para investigar as causas dos naufrágios. O prazo para a conclusão é de 90 dias.

Mais conteúdo sobre:
NaufrágioSC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.