Nave que levará astronauta brasileiro já está posicionada

A nave Soyuz TMA-8 na qual viajará à Estação Espacial Internacional (ISS) o primeiro astronauta brasileiro da história, Marcos Pontes, foi instalada nesta terça-feira na rampa de lançamento, informou a agência espacial russa Roscosmos.Apoiada em um foguete propulsor Soyuz-FG de 50 metros de comprimento e 300 toneladas, a Soyuz TMA-8 foi transportada sobre vagões em posição horizontal até a rampa no centro de lançamento de Baikonur, na república do Casaquistão, na Ásia Central, disse um porta-voz da Roscomos à agência Itar-Tass.As duas locomotivas nos extremos do comboio demoraram cerca de duas horas para percorrer os quase dois quilômetros de distância entre o hangar e a plataforma de lançamento do centro espacial.TalismãsSeguindo a tradição, convidados, jornalistas e militares depositaram moedas que, esmagadas durante a passagem do comboio, se transformam em talismãs da viagem."O Soyuz FG e a Soyuz TMA-8 estão prontos para o lançamento", afirmou a fonte, que acrescentou que a decolagem do foguete está prevista para a próxima quinta-feira às 6h30 de Moscou (23h30 de Brasília de quarta-feira) em Baikonur, em espaço alugado pela Rússia.A missão fundamental da Soyuz TMA-8 é transportar à ISS a 13ª expedição espacial, a "ISS-13", integrada pelo russo Pável Vinográdov e o americano Jeffrey Williams, que substituirão seus respectivos compatriotas Valeri Tokarev e William McArthur, da "ISS-12", que estão na estação internacional desde outubro passado.No entanto, as atenções da missão estão voltadas para o terceiro tripulante, o tenente-coronel Marcos Pontes, que se transformará no primeiro astronauta da história do Brasil.Missão CentenárioDurante sua permanência no espaço, Pontes, de 42 anos, desenvolverá a missão "Centenário", que inclui um programa de experimentos científicos e técnicos e observações do território brasileiro com instrumentos a bordo da nave espacial.A viagem de Pontes comemora o centenário do vôo de Santos Dumont no primeiro engenho mais pesado que o ar, o 14 Bis, que aconteceu em Paris em 1906.Vinográdov e Williams ficarão na ISS por pelo menos seis meses. Pontes regressará à Terra em companhia de Tokarev e McArthur após oito dias.Os cosmonautas Vinogradov e Williams expressaram sua satisfação por participar de um vôo histórico para o Brasil e, assim como Pontes, minimizaram a importância da relação do vôo com a mística do número 13, que caracteriza a expedição à ISS."Na verdade, eu faço parte da tripulação ´doze e meio´, porque viajarei com a ´ISS-13´ e retornarei com a ´ISS-12´", brincou Pontes.

Agencia Estado,

28 de março de 2006 | 04h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.