Navio desaparecido rumou para o Atlântico, dizem autoridades

Um navio mercante que desapareceu na costa da França há duas semanas seguiu para o Oceano Atlântico, disseram autoridades marítimas nesta quarta-feira, reforçando a ideia de que ele foi sequestrado.

REUTERS

12 Agosto 2009 | 16h17

Navios de guerra da Rússia receberam ordens para se juntar às buscas do navio Mar Ártico, embarcação de 4 mil toneladas e 15 tripulantes que sumiu logo após passar pelo estreito de Dover, entre a França e a Grã-Bretanha, no fim do mês passado.

O navio finlandesa, registrada em Malta, ia da Finlândia para o porto argelino de Bejaia, onde deveria ter desembarcado em 4 de agosto com uma carga de 1,3 milhão de dólares em madeira.

"Parece que o navio não se aproximou do estreito de Gibraltar, o que indica que a embarcação se dirigiu ao Oceano Atlântico", afirmou a Autoridade Marítima de Malta, que vinha monitorando o navio, em comunicado.

Se a embarcação foi sequestrada, é possível que os responsáveis pretendam usá-la como um "navio fantasma", disseram especialistas em assuntos marítimos. Outra hipótese é que os piratas queiram testar os níveis de segurança das águas do norte da Europa, região mais movimentada do mundo.

A guarda costeira britânica afirmou que o Mar Ártico fez o último contato via rádio em 28 de julho, ao entrar no estreito de Dover. Pouco depois, o transponder --que transmite um sinal eletrônico de localização-- foi desligado.

O navio foi interceptado por "oito ou doze pessoas supostamente mascaradas e com uniformes de polícia, portando armas e pistolas", disse a autoridade maltesa.

Os membros da tripulação foram atacados, amordaçados e vendados. Alguns ficaram gravemente feridos, segundo os malteses.

Mais conteúdo sobre:
MALTANAVIODESAPARECE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.