Navio onde morreu cadeirante é retido em Salvador

A Vigilância Sanitária de Salvador inspecionou ontem o navio MSC Sinfonia após turistas passarem mal. A embarcação deveria ser mantida no porto pelo menos até a manhã de hoje. De acordo com o relato de um passageiro, 87 pessoas já tiveram de ser atendidas, por causa de vômitos e diarreias, desde a partida do Recife, onde foi desembarcado o corpo da cadeirante Aline Mion Almeida, de 32 anos, na manhã de segunda-feira. Segundo a MSC Cruzeiros, cerca de 20 pessoas foram atendidas pela equipe médica do navio após mal-estar gastrointestinal. De acordo com a Vigilância, foram recolhidas para análise amostras de comida e da água para análise. O administrador de empresas Otton Lima, 46 anos, contou que precisa pagar US$ 1,80 por garrafa de meio litro de água mineral. ?A gente também viu comida sendo jogada fora e funcionários fazendo uma limpeza pesada em algumas áreas do navio, usando até máscaras daquelas que dentistas usam. Estamos assustados com a situação.? Lima contou também que, de seu grupo, dez pessoas já passaram mal. A MSC confirmou que a programação seguiu normalmente ontem em Salvador. A empresa, por sua vez, negou a informação de que a água e a comida do navio tenham sido recolhidas pela Vigilância Sanitária. A empresa informou que o navio, com 2,7 mil passageiros a bordo, permanecia ontem à noite no porto à espera de autorização para seguir para o Rio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.