Negociação salarial para após acidente de metrô em SP

O acidente desta quarta-feira aconteceu no dia em que o Metrô de São Paulo rejeitou a reivindicação salarial apresentada pelo Sindicato dos Metroviários. A categoria ameaça entrar em estado de greve. O sindicato exige reajuste salarial de 5,13% e aumento real de 14,99% (ganhos acima da inflação). A companhia, segundo o sindicato, ofereceu 4,15% de reajuste. As negociações foram interrompidas por causa da colisão entre duas composições na Linha 3-vermelha.

AE, Agência Estado

16 Maio 2012 | 21h19

A ocorrência, no entanto, não encerrou o movimento dos trabalhadores. Na noite desta quarta-feira, metroviários ainda decidiam se parariam ou não. A categoria estava reunida, em assembleia, até as 20 horas na sede do sindicato, no Tatuapé, zona leste, para votar o indicativo de greve, em rejeição à proposta salarial oferecida pelo Metrô. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
metrô negociação salário

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.