NEIDE RIGO neide.rigo@gmail.com Purê de feijão. Por que não?

Já fomos um povo papa-feijão - arroz com feijão, feijão com farinha, feijoada. Mas quase não há receitas de feijão nos livros e, tirando estabelecimentos populares, a maioria dos restaurantes ignora o grão. O IBGE já confirma: caiu o consumo de feijão.

O Estado de S.Paulo

28 Março 2013 | 02h09

Por mim, daríamos mais atenção às nossas clássicas formas de consumo e aos usos que fazem dele nossos vizinhos da América Latina. México, Peru, Costa Rica, Cuba, todos usam purê de feijão - que, lá, pode ser comprado em lata - como ingrediente de doces ou salgados. E variações de empanadas de banana, por exemplo, doces e salgadas, estão espalhadas por aí. A combinação de banana-da-terra, o único ingrediente da massa, com feijão-preto é imbatível.

Então, para que as pesquisas do IBGE parem de acusar quedas no consumo desse grão, se é impraticável comer todos os dias o bom e caldoso feijão para acompanhar o arroz, ao menos vamos mantê-lo por perto com outros preparos. O doce e as empanadas de banana são bons exemplos do potencial que temos ao nosso alcance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.