Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Nem Ponte Nova nem Jequeri: Patos de Minas entra na briga

Quando tudo parecia resolvido, um novo goiabadeiro aparece para embolar a arduamente conquistada pax mineira

21 Março 2012 | 19h14

A disputa entre Jequeri e Ponte Nova pela supremacia da goiabada parecia ter chegado a uma pax mineira. Pacificados após devorarem as armas do combate, os representantes das duas cidades goiabadeiras, os jornalistas José Maria Mayrink (por Jequeri) e Miguel Jorge (Ponte Nova) haviam aceitado o justo veredicto dos jurados do Paladar: é empate e acabou!

A história foi contada com graça e elegância pelo também mineiro Humberto Werneck, na edição do Paladar da semana passada, os endereços das duas goiabadeiras foram divulgados para que o leitor tire suas próprias conclusões, mas a coisa estava longe de terminar. Outro mineiro e também jornalista resolveu meter sua colher no tacho. 

Assim que soube da disputa entre Jequeri e Ponte Nova, Marcos Wilson ficou indignado, afinal, como escreveu no e-mail enviado a um amigo na redação, todo mundo sabe que a melhor goiabada é a de Patos de Minas. Faltou indicar seu fornecedor, o que funciona como uma espécie de atestado de mineiridade, já que mineiro que é mineiro tem fornecedor próprio de goiabada.

Mais conteúdo sobre:
Paladar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.