Nemtsov pretendia revelar ligação russa com conflito da Ucrânia, diz presidente

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse neste sábado que o político de oposição russo Boris Nemtsov foi assassinado porque pretendia apresentar provas do envolvimento da Rússia no conflito separatista da Ucrânia.

REUTERS

28 Fevereiro 2015 | 13h02

Poroshenko prestou homenagem a Nemtsov, que foi morto a tiros na noite de sexta-feira e disse que o feroz crítico do presidente Vladimir Putin lhe havia dito há duas semanas que tinha provas do papel da Rússia na crise da Ucrânia e ia revelá-las.

"Ele disse que ia revelar provas convincentes do envolvimento das forças armadas russas na Ucrânia. Alguém estava com muito medo disso... Eles o mataram", disse Poroshenko, em comentários televisionados, durante uma visita à cidade de Vinnytsia.

Mais de 5.600 pessoas foram mortas desde que os separatistas pro-Rússia se rebelaram no leste da Ucrânia em abril do ano passado, depois da destituição do presidente de Kiev, apoiado por Moscou e da anexação da península da Crimeia pela Rússia.

((Tradução Redação São Paulo; +5511 5644-7764)) REUTERS PAL

Mais conteúdo sobre:
MUNDO UCRANIA NEMTSOV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.