Nepalês chega ao topo do Everest pela 18ª vez

Appa Sherpa quebrou o próprio recorde de escaladas ao topo.

Da BBC Brasil, BBC

22 de maio de 2008 | 21h45

Um guia nepalês quebrou seu próprio recorde e reafirmou o feito de ser a pessoa que mais vezes chegou ao cume do Monte Everest, ao escalar o ponto mais alto da Terra pela 18ª vez.Segundo o correspondente da BBC no Nepal Charles Haviland, Appa Sherpa ligou para sua esposa por volta das 6h15 da manhã desta quinta-feira contando que tinha chegado ao topo do monte Everest.O guia afirmou que não planejou esta última escalada ao cume, mas decidiu se unir a uma expedição que busca chamar a atenção sobre o problema do aquecimento global.A equipe de escaladores está divulgando o problema dos lagos criados pelas geleiras da região, que estão derretendo e podem causar inundações.Tocha olímpicaO Nepal abriu as áreas superiores de suas montanhas no Himalaia há apenas duas semanas. A região foi isolada depois que a China revelou o temor de que manifestantes pudessem interromper a passagem da tocha olímpica pelo cume do Everest.Appa Sherpa teria dito à sua esposa várias vezes que não tentaria chegar ao topo de novo, mas o alpinista de 47 anos continua escalando a maior montanha do mundo.Ele usou o dinheiro que ganhou como guia de alpinistas para pagar a educação de seus filhos. Appa Sherpa nasceu em um vilarejo logo abaixo do Everest, mas, atualmente, vive a maior parte do tempo nos Estados Unidos.O competidor que está mais próximo do recorde de Appa Sherpa é também um guia de alpinistas daquela região e conseguiu chegar ao cume 15 vezes.Nesta primavera na região do Everest, desde a terça-feira, várias dezenas de alpinistas já chegaram ao topo da montanha.Entre outros que querem alcançar o cume nesta temporada estão um japonês e um nepalês, os dois com cerca de 70 anos e esperando se tornar os alpinistas mais velhos a chegarem ao cume.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.