Neto de líder norte-coreano vai estudar em escola da Bósnia

Um neto do líder norte-coreano Kim Jong-il chegou à Bósnia para estudar em uma escola internacional, informou a instituição nesta sexta-feira, ao mesmo tempo que pediu respeito à privacidade do aluno.

REUTERS

14 Outubro 2011 | 15h25

O United World College (UWC), que mantém 13 escolas pelo mundo, disse que Kim Han-sol, de 16 anos e filho de Kim Jong-han -- o filho mais velho do líder norte-coreano --, ganhou uma bolsa de estudos no colégio situado na cidade de Mostar, depois que Hong Kong se recusou a lhe conceder visto para estudar lá.

"O estudante da Coreia do Norte... foi aprovado pelas autoridades do estado para uma residência de dois anos durante sua educação na Bósnia", disse a presidente do conselho da escola, Jasminka Bratic.

A Coreia do Norte, país pobre e governado por um regime comunista que o mantém isolado do mundo, está sob sanção internacional por realizar testes de mísseis e outros aparatos nucleares. O país dependa de ajuda externa para manter sua economia.

"Nós fazemos um apelo a vocês para que não violem sua segurança, privacidade e educação", disse Bratic em entrevista à imprensa. "Nós não devemos esquecer que o estudante é um menor e a UWC é sua única guardiã aqui."

As escolas UWC buscam reunir alunos de regiões pós-conflito. A escola de Mostar foi aberta em 2005 para tentar superar divisões étnicas em uma cidade dividida durante a guerra da Bósnia, nos anos 1990, em seções habitadas por muçulmanos e croatas.

(Reportagem de Daria Sito-Sucic)

Mais conteúdo sobre:
COREAN BOSNIA NETO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.