NGTON-POL

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, disse nesta sexta-feira que vai sancionar napróxima semana o pacote de estímulo econômico de 152 bilhões dedólares. O Senado e a Câmara dos Deputados aprovaram o plano naquinta-feira. O pacote consiste de uma série de restituiçõestributárias e incentivos às empresas com o objetivo de evitaruma recessão nos Estados Unidos. "Estamos em um período de incerteza econômica, e agimos denovo", disse Bush em uma conferência. "Eu quero agradecer osmembros (do Congresso) pela aprovação de um bom projeto de lei,que vou sancionar na próxima semana." "Esse projeto reflete nossos princípios. Ele é robusto, épró-crescimento, estimula o investimento empresarial e colocadinheiro nas mãos dos consumidores norte-americanos",acrescentou o presidente. O plano fará a restituição de até 600 dólares paraindivíduos e de até 1.200 dólares para casais, com adicional de300 dólares por criança. Pessoas de baixa renda, incluindoaposentados pela Previdência Social e veteranos de guerra cominvalidez --que não pagam imposto--, também receberão chequesde 300 dólares. O projeto final foi mais amplo do que o original apoiadopor Bush. O Senado acrescentou os benefícios para os idosos eos veteranos inválidos, que não estavam no texto original daCâmara. Para ter mais apoio dos republicanos em um Senado bastantedividido, os democratas tiveram que recuar na proposta debenefícios a desempregados de longa data e em outras provisõesque ajudariam pessoas de baixa renda e construtores de casas. O Senado também modificou o texto para garantir queimigrantes ilegais não recebam a restituição. O projeto deve injetar aproximadamente 152 bilhões dedólares na economia neste ano, e mais 16 bilhões de dólares nopróximo ano. Os indicadores mais recentes sugerem que a economia estádesacelerando. Alguns economistas dizem, porém, que o pacotedeve ganhar tempo, mas não evitar uma recessão. (Reportagem de Matt Spetalnick)

REUTERS

08 de fevereiro de 2008 | 11h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.