Nikolay Davydenko é campeão em Londres

Tenista conquista o primeiro título da Rússia na Masters Cup, após vencer o argentino Juan Martín Del Potro, por 2 seta a 1, em 1h24

, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2009 | 00h00

A hora e a vez do russo Nikolay Davydenko demorou, mas chegou ontem, quando ele conquistou pela primeira vez a Masters Cup de tênis, ao vencer o argentino Juan Martín Del Potro por 2 sets a 0 (6/3 e 6 a 4), em uma 1h24 de jogo, na final disputada em Londres.

Aos 28 anos, Davydenko ganhou, portanto, o título considerado o mais importante de sua carreira, um ano depois de perder a final do mesmo torneio, disputado então em Xangai, para o sérvio Novak Djokovic. Esta foi a primeira Masters Cup conquistado por um tenista russo. Já Del Potro tentava levar para a Argentina o terceiro título do torneio.

Com a conquista de ontem, o tenista russo não só avançou do sétimo para o sexto lugar no ranking como ainda engordou sua conta bancária em mais de US$ 1, 5 milhão (R$ 2,61 milhões). "Chegar aqui como número 7 do ranking e ganhar a Masters Cup é algo que surpreende até a mim mesmo", disse.

Seu caminho até a final de ontem foi o mais difícil possível, já que teve de vencer nas rodadas anteriores os campeões dos quatro torneios de Grand Slam do ano. Na primeira partida do torneio, acabou perdendo para o sérvio Novak Djokovic - que já havia sido seu carrasco na final da Masters Cup do ano passado. Mas não importou. Bateu em seguida o espanhol Rafael Nadal e o sueco Robin Soderling. Na semifinal, no sábado, venceu Roger Federer pela primeira em sua carreira depois de 12 derrotas.

No sábado, Davydenko chegou a fazer com que o suíço se mostrasse à beira de um ataque de nervos na quadra do O2, como um menino que não ganhou caramelos.

"Felicidades, você teve uma grandíssima semana. Venceu a todos e provou que é realmente um grande campeão", disse Del Potro ao rival após a final de ontem. De fato, a vitória premiou a grande regularidade - sempre no nível máximo - do russo, que participou pela quinta vez consecutiva do torneio que marca o encerramento da temporada.

Temido pela maioria dos tenistas do circuito, Davydenko sempre tropeçava antes de chegar à final, por culpa do número 1 do mundo, Roger Federer, que sempre o batia. Desta vez, porém, ele logrou ultrapassar o suíço na semifinal.

Na final de ontem, o russo imprimiu um ritmo infernal ao jogo desde o fundo da quadra graças à sua velocidade, que lhe permitia chegar em todas as bolas. Ele também nunca vacilou em subir à rede para dar o golpe final, acertando 11 de suas 12 tentativas. Além disso, se valeu de um serviço cada vez melhor (ontem, fez 5 aces). Já Del Potro sucumbiu ao desgaste físico depois da difícil semifinal contra o sueco Robin Soderling.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.