Níveis altos de obesidade trazem mais riscos à saúde

O risco para a saúde sofrido por mulheres extremamente obesas pode estar sendo subestimado, de acordo com estudo publicado no Journal of the American Medical Association (Jama). Segundo o trabalho, essas mulheres sofrem com taxas de hipertensão, diabetes e colesterol superiores às de mulheres com níveis inferiores de obesidade.O diagnóstico e tratamento da obesidade geralmente baseiam-se no índice de massa corporal (IMC), calculado dividindo-se o peso em quilos pelo quadrado da altura em metros. São consideradas três categorias de obesidade: obesidade 1 (IMC entre 30 r 34,9); obesidade 2 (35-39,9); e obesidade extrema (40 ou mais). A médica Kathleen McTigue, da Universidade de Pittsburgh, e colegas realizaram uma pesquisa para examinar a relação entre categoria de peso e chance de morte ou de doença cardíaca coronária (CHD) em uma grande população de mulheres americanas, como foco no diferencial de nível de obesidade. Os pesquisadores analisaram dados de mortalidade e problemas cardiovasculares em 90.185 mulheres, recrutadas de 40 centros da Iniciativa de Saúde da Mulher do governo americano, e que foram acompanhadas por 7 anos, em média. No geral, mulheres com obesidade extrema tinham mais chance de morrer nos 7 anos de acompanhamento do estudo do que as mulheres em outras categorias.

Agencia Estado,

04 de julho de 2006 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.