Nível de CO2 é menor em 20 anos nos EUA

Emissões caíram porque baixos preços tornaram gás natural mais atraente que o carvão para gerar energia; avanço é visto com cautela

PITTSBURGH, EUA, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2012 | 03h04

Os Estados Unidos, maiores emissores históricos de gases-estufa, liberaram no primeiro trimestre deste ano para a atmosfera o menor nível de gás carbônico dos últimos 20 anos.

O nível de emissões provenientes do consumo de energia entre janeiro e março - 1.340 milhões de toneladas - foi 8% menor que o do mesmo período do ano passado e o mais baixo desde 1992, segundo dados divulgados pela Agência de Informações sobre Energia dos EUA.

O governo diz que uma das causas pode ser o inverno mais brando deste ano, mas que o principal motivo foram os baixos preços do gás natural, que levaram muitas usinas a preferi-lo em vez do poluidor carvão. O consumo do minério sozinho caiu 18% no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2011, e foi o mais baixo desde 1983.

Em 2005, carvão era usado para produzir metade de toda a eletricidade gerada nos EUA, segundo a agência, fatia que diminuiu para 34% em março, o mais baixo desde que o índice começou a ser medido, há quase 40 anos.

A redução foi recebida com "otimismo cauteloso" por pesquisadores que acompanham as emissões, visto que ela ocorreu mais por força de mercado que por ações do governo por uma economia de baixo carbono. "Há uma lição clara aqui. Se uma fonte de energia mais limpa for mais barata, ela vai substituir as fontes sujas", afirmou Roger Pielke, da Universidade do Colorado.

A situação levanta vários questionamentos. Para começar, se essa mudança realmente é algo isolado ou tem potencial para se espalhar. E se é algo permanente ou pode variar em uma situação em que, por exemplo, o preço do carvão caia e o do gás suba.

Além disso, apesar de o gás natural emitir menos, ele também libera CO2. E a própria exploração traz consequências para o ambiente que ainda não foram bem compreendidas. Há vazamento de metano, por exemplo, que também causa o efeito estufa. "O gás natural não é uma solução de longo prazo para o problema do CO2", diz Pielke. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.