Nível de represa cai para 3% e Itu tenta transposição

O nível da Represa do Itaim, principal fonte de abastecimento da região central da cidade de Itu, baixou para 3% e agravou as condições do abastecimento na cidade, na região de Sorocaba. Os 156 mil habitantes enfrentam racionamento desde o início de fevereiro e só recebem água a cada dois dias. A captação foi reduzida ao mínimo e em alguns bairros a água chega uma vez por semana.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Estadão Conteúdo

09 Agosto 2014 | 12h41

Numa medida de emergência, a prefeitura pediu autorização ao Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) e aos órgãos ambientais do Estado para fazer a transposição dos ribeirões Pau D''Alho e Mombaça para o córrego do Itaim, que abastece a represa.

A transposição será feita com a instalação de uma linha de dutos que vai cortar vias públicas e áreas particulares. Para adiantar o processo ambiental, o município já conseguiu a autorização dos proprietários para a passagem da tubulação.

Depois de se recusar a decretar calamidade pública na cidade como havia recomendado o Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo, o prefeito Antonio Tuíze (PSD) proibiu a autorização para novos empreendimentos imobiliários por um período de 120 dias. Também baixou decreto requisitando a água de poços artesianos de uma empresa privada. O proprietário será indenizado. De acordo com a prefeitura, apesar da crise, escolas, hospitais e postos de saúde estão sendo abastecidos.

Mais conteúdo sobre:
abastecimento Itu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.