Nível do mar pode subir duas vezes mais do que o previsto

O nível do mar no mundo pode subirduas vezes mais neste século do que os cientistas daOrganização das Nações Unidas haviam previsto, segundopesquisadores que estudaram o que aconteceu há mais de 100 milanos, a última vez em que a Terra ficou com esta temperatura. Especialistas do Painel Intergovernamental de MudançasClimáticas da ONU sugeriram que um máximo de 0,8 metro deelevação no nível do mar --um efeito-chave do aquecimentoglobal-- para o século 21. Mas pesquisadores disseram em um estudo publicado nodomingo na revista Nature Geosciense que o máximo poderia ser odobro disso, ou 1,6 metro. A estimativa foi feita com base em estudos do chamadoperíodo interglacial, entre 124.000 e 119.000 anos atrás,quando o clima da Terra era tão quente quanto é agora devido auma diferente configuração na órbita do planeta em torno dosol. Esta foi a última vez em que o nível do mar chegou a 6metros acima do nível atual, devido ao descongelamento defolhas de gelo que cobriam Greenland e Antártica. Os pesquisadores afirmam que seus achados são a primeiradocumentação substancial de como o nível do mar subiurapidamente para esse patamar. "Até agora, não havia registros que suficientementemostravam a taxa total das elevações do nível do mar do passadoaté o nível atual", disse o autor Eelco Rohling, do CentroNacional de Oceanografia da Grã-Bretanha, em um comunicado. Rohling e seus colegas descobriram uma média de elevação donível do mar de 1,6 metro a cada século durante o períodointerglacial. Naquele tempo, Greenland tinha 3 a 5 graus centígrados amais do que agora, o que é similar ao período de aquecimentoesperado nos próximos 50 a 100 anos, segundo Rohling. Modelos atuais de folhas de gelo não prevêem taxas demudança desta magnitude, mas eles não incluem muitos dosprocessos dinâmicos já observados por glaciologistas, disse ocomunicado.

REUTERS

16 de dezembro de 2007 | 18h28

Tudo o que sabemos sobre:
MAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.