No bar, como se fosse em casa

Pequeno, com som alto e sofás e poltronas no lugar das cadeiras e mesas, o clima no simpático Naïve, aberto em Higienópolis no começo de março, é de festa na sala de casa, mas com barman. Tem até TV! (quer dizer, um telão, no qual dependendo da noite há projeções temáticas ou até jogos de basquete).

O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2012 | 03h08

E não falta espaço também para quem quer uma experiência um pouco mais de... bem, bar: as mesas para sentar de uma forma mais tradicional ficam na rua, na calçada (espaçosa) da esquina das ruas Mato Grosso e Sergipe - com vista para as grandes árvores do cemitério da Consolação.

Na sala ou na calçada, a cerveja é gelada e pode ser long neck (Eisenbahn, R$ 10) ou em garrafa de 600 ml (Original, R$ 7, e Heineken, R$ 9).

Vale experimentar os drinques, como o 'Bloody Mary' e o 'Mojito' (ambos R$ 16, com vodca nacional, e R$ 19, importada). O 'Mojito' é servido também em jarras de 1 litro, assim como a sangria, de vinho tinto com suco de laranja e frutas cítricas, e o 'Clericot', de vinho branco (os três custam R$ 37).

As opções de comida não são muitas, e envolvem muito bagel. O sanduíche de rosbife é ótimo - com queijo derretido e o rosbife frio, mais picles e wasabi (R$ 15) - e há três outros sabores. Faz ainda porções de bruschetta de bagel, como a de cogumelos com queijo de cabra, ou a de salmão defumado com dill (ambas R$ 19). Renan

Dissenha Fagundes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.