No Brasil, alho negro por enquanto só em pasta

Ainda não dá para comprar alho negro nos supermercados brasileiros, mas é possível encomendar pela internet (nos endereços http://www.blacgarlic.com/ e http://www.terraspicecompany.com/). Em algumas mercearias coreanas do Bom Retiro, como o Mercado Seul, é fácil achar alho negro em pasta importado da Coreia do Sul. O pote com 500g custa R$ 150. Tem também uma versão líquida feita para ser aquecida e tomada como um chá. A caixa fechada com 60 pacotes saí por R$ 195. O produto é novidade por aqui – começou a chegar em meados do ano. "Vendemos bastante, mas por enquanto só para a colônia coreana", diz Mee Ahn, do Mercado Seul. Para quem quiser provar o ingrediente, combinado à polenta e ao bacalhau, a dica é ir ao Emiliano. Emiliano – R. Oscar Freire, 384, 3068-4399Marisa Ono – marisaono@gmail.com  Mercado Seul – R. Prates, 462, 3326-4911Mercearia O&G – R. Três Rios, 245, 3326-1636Veja também:Alho negro Cadê o ardido que estava aqui? O dente de alho que foi parar na sobremesa Americano de origem coreana  Receita de linguine ao alho negro com camarão crocante  Receita de bacalhau assado, polenta mantecata, cogumelos eringi e alho negro

24 de setembro de 2009 | 09h05

Tudo o que sabemos sobre:
Paladaralhoalho negropasta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.