No frio de San Antonio

A mais nova região vinícola do Chile, bastante fria e pertíssimo do Pacífico. Em San Antonio a água é pouca. Para plantar as primeiras uvas nessa ótima região, o pioneiro Luís Alberto Fernandes abriu um canal de 8 km, que leva água do rio Maipo

Saul Galvão,

23 Abril 2009 | 09h06

San Antonio é a mais nova e uma das melhores regiões vinícolas do Chile, especialmente para vinhos feitos com uvas brancas ou tintas que gostam do frio, notadamente a Pinot Noir. Há ainda bons Syrah. Veja também: Amayna Sauvignon Blanc Garcez Silva 2007 Centauri 2007 Eq Matetic 2006 Santa Rita Floresta 2007 Bastante fria, pertíssimo do Pacífico, esta é sobretudo uma área de brancos, principalmente dos varietais de Sauvignon Blanc - modernos, refrescantes com aromas que saltam do copo, alguns lembrando a Nova Zelândia (os meus favoritos); e Chardonnay, a grande uva originária da Bourgogne, que se tornou a branca mais difundida no mundo e se mantém na moda há muito tempo. A Sauvignon é originária de Bordeaux e costuma ser extremamente aromática. Seus vinhos não são encorpados, mas sim refrescantes. Há exceções, mas vinho Sauvignon Blanc não costuma passar pela madeira. Fica muito melhor e mais vivo sem esse estágio. Na França, a Sauvignon participa dos cortes dos Bordeaux brancos e dá alguns vinhos famosos em outras regiões, como Pouilly Fuissé e Sancerre. Ela se difundiu pela Europa (Itália, Espanha, etc) e por outros continentes. Seu caso de amor com as zonas frias da Nova Zelândia foi imediato e cheio de frutos. Desse país vêm alguns dos melhores Sauvingon Blanc do mundo. Sua adaptação ao Chile foi feliz em várias regiões. Mas ela deu um grande salto qualitativo ao chegar ao Valle de Casablanca, zona fria influenciada pelas correntes do Pacífico. Pablo Morandé foi o primeiro a ousar plantar uvas ali, em 1980. Hoje a zona é um mar de vinhos, sobretudo brancos. San Antonio fica ainda mais perto do Pacífico e 75 quilômetros ao sul de Casablanca. As duas zonas têm outros pontos em comum, além do frio. Entre eles a escassez de água, já que as regiões não contam com a água do degelo dos Andes. Para plantar as primeiras uvas em San Antonio, o pioneiro Luis Alberto Fernandes construiu um canal de oito quilômetros para levar água do Rio Maipo. Lo Abarca e Leyda são as principais sub-regiões de San Antonio. Uma área montanhosa e, por enquanto, pequena, com pouco mais de 500 hectares, que vem crescendo. No início havia apenas quatro vinícolas produzindo ali, mas esse número deve aumentar logo, uma vez que muitas grandes empresas estão comprando uvas na região e deverão instalar adegas. Amayna, Garcez Silva, Leyda e Chocalán foram as primeiras a chegar.

Mais conteúdo sobre:
Paladar vinhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.