No Papacarbone, mar e montanha

Restaurante charmoso em cidadezinha da Campânia tem um jantar delicado e farto por 60 euros, tudo incluído

Jacques Trefois*, especial para O Estado,

14 Maio 2009 | 09h52

Cava de’ Tirreni é uma cidade peculiar do sul da Itália. Mesmo sendo um importante polo industrial da Província de Salerno, tem a atmosfera hedonista da Costa Amalfitana. É no centro desse município de pouco mais de 50 mil habitantes, que está o Papacarbone, restaurante de cozinha inspiradora, numa casa charmosa, cujo mérito vem da cozinha, com pratos delicados, criativos, inteligentes, e um perfeito conhecimento do produto. O responsável por tudo isso é o chef Rocco Iannone, que abriu o endereço há quase quatro anos. Rocco teve uma compreensão muito clara e objetiva do que pode ser a alta gastronomia italiana - em plena Campânia, uma região conservadora. A expressão de sua linguagem culinária é a simplicidade. A matéria-prima é de qualidade. Suas criações revelam um incrível talento no manejo dos sabores, na combinação de elementos. A apresentação dos pratos, no entanto, é descomplicada e de muita personalidade. De sua carta de vinhos, concisa, mas consistente, formada somente por bons produtores italianos, escolhi um Capalot Crocce, do ótimo produtor Anselmi. Custou 18 e estava esplêndido, acompanhando perfeitamente a sequência de pratos. Após uns amuse-bouches simpáticos, chegou um ótimo carpaccio di pesce mormora (espécie que, em português lusitano, chama-se ferreira), com vôngole e orégano. Incrível frescor, o mar na boca. A seguir, insalata di pesce azzurro com mozzarella e fagiolini. Clássica combinação mar-montanha, na qual os espanhóis são mestres. Estava sensacional, com os ingredientes em perfeita harmonia. O spaghetti trafilati al bronzo com carbonara de cozze (mexilhão) e bottarga que veio a seguir era delicioso. Que spaghetti fazem os chefs italianos! O que dizer do risotto carnaroli mantecato com funghi porcini e cacciocavalo podolico? Não sou fã de risotto, mas esse estava verdadeiramente bom. O último prato, já no fim do expediente, foi trazido pelo próprio chef. Grigliata de triglie e patata al finochietto com ristretto di basilico. Cozidas no ponto certo, combinaram às maravilhas com a simplicidade do purê de batata e da erva doce, além do toque de balsâmico. Mas não era o fim. As sobremesas são o forte do cuoco, e provei ali um babá ao rum: um dos melhores que já provei - e olha que já experimentei muitos, pois é um dos meus favoritos. Para concluir, um espresso com madeleines ao limão e sfogliatelle deliciosas. E mais uma boa surpresa: a conta. O menu custou 60, incluindo tudo - serviço, couvert, café, etc. Um milagre. Papacarbone - Via Rosario Senatore, fone.: (39) 089 466 441, Cava de Tirreni *Jacques Trefois é consultor enogastronômico, trefoisjac@uol.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.