No Rio, 20 mil votam para escolher novo dirigente

Pouco mais de 20 mil petistas participaram ontem do segundo turno do processo de eleição direta (PED) para escolha do presidente da legenda no Rio. A disputa estava entre o deputado federal Luiz Sérgio e o ex-secretário estadual de Direitos Humanos Lourival Casula. Até ontem à noite não havia previsão de qual candidato sairia vencedor. Fechadas as urnas, nenhum dos dois lados ousou cantar vitória. O resultado era esperado para o fim da noite de ontem.

Alfredo Junqueira, RIO, O Estadao de S.Paulo

07 Dezembro 2009 | 00h00

A escolha do novo presidente será fundamental para definir como o partido se posicionará nas eleições para o governo estadual no ano que vem. Casula é aliado do prefeito de Nova Iguaçu e pré-candidato ao Palácio Guanabara, Lindberg Farias. Luiz Sérgio sempre defendeu aliança em favor da reeleição do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) desde o primeiro turno, apesar de ter mudado o discurso nos últimos dias de campanha.

Lindberg votou de manhã, no Esporte Clube Iguaçu, em Nova Iguaçu. Depois, percorreu vários pontos de votação na região metropolitana do Estado. Na Vila Kennedy, zona oeste do Rio, encontrou-se com Casula. Os dois acompanharam juntos o início da apuração dos votos. Luiz Sérgio votou em Angra dos Reis, no sul fluminense, e seguiu para seu escritório, no centro da capital.

Poucos problemas foram registrados durante todo o dia. Fiscais dos dois candidatos chegaram a se estranhar em alguns pontos da zona oeste e em cidades como Petrópolis, mas não houve incidentes significativos. A reunião da convenção estadual do partido será em março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.