No Rio, marcha contra PEC 37 critica políticos

Uma passeata que começou com 300 manifestantes em Copacabana passou por Ipanema e terminou neste domingo, 23, com cerca de 2 mil pessoas perto da casa do governador Sérgio Cabral (PMDB), no Leblon. No início da marcha de 5 quilômetros predominaram as críticas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 37, que restringe poderes de investigação do Ministério Público, contra corrupção e por mais verbas para saúde e educação. No fim, prevaleceram críticas ao governador e ao prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes (PMDB).

VINICIUS NEDER E FELIPE WERNECK, Agência Estado

24 de junho de 2013 | 08h54

O quarteirão onde fica o prédio do governador foi isolado e protegido por 200 PMs. Moradores dos apartamentos de frente para a praia acendiam e apagavam as luzes em apoio aos manifestantes. O clima foi festivo.

Havia cartazes contra e a à favor da presidente Dilma Rousseff. Um manifestante carregava um contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Muitos levavam mensagens contra o deputado Marco Feliciano (PSC). O presidente da Associação Nacional de Militares do Brasil, Marcelo Machado, tinha uma faixa com a frase "Forças Armadas prontas com o povo".

Em Brasília, mais de 200 crianças se manifestaram na manhã de ontem na frente do Congresso Nacional. Acompanhadas dos pais, muitas levaram cartazes contra a corrupção e por educação e saúde de qualidade. Em São Paulo, um ato contra a privatização do Parque Estadual do Jaraguá reuniu 2 mil na manhã de ontem na zona norte. Outro protesto, na Praça Roosevelt, no centro, teve 300 skatistas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosRioBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.