No Rio, operação retira 69 pessoas de 'cracolândia'

Uma operação para retirar moradores de rua da chamada "cracolândia" da favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, recolheu 69 pessoas nesta manhã: 53 adultos e 16 crianças e adolescentes. Foi a décima ação da Secretaria Municipal de Assistência Social (Smas) em parceria com as Polícias Civil e Militar nos últimos dois meses para o recolhimento de usuários de crack; a quarta na comunidade.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

03 Junho 2011 | 11h27

A ação foi a primeira após a publicação no Diário Oficial do Município, na segunda-feira, da regulamentação que determina a "internação compulsória" dos jovens para tratamento médico, mesmo contra a vontade deles ou da família. A medida vale somente para os que, na avaliação de um especialista, forem dependentes químicos.

As crianças e adolescentes recolhidas na operação de hoje serão conduzidas à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), para o processo de identificação. Depois, serão levadas à Central de Recepção Carioca, onde passarão pela avaliação de médicos que "irão diagnosticar o grau de dependência química", segundo a Smas. As que necessitarem de internação compulsória serão encaminhadas à Casa Viva, em Laranjeiras, na zona sul do Rio, e as demais para outros abrigos da rede municipal.

A Smas divulgou que os dados de hoje apontam um declínio do número de pessoas que frequentam a "cracolândia" do Jacarezinho, já que nas últimas operações o total de recolhidos no local foi de 76, em 25 de maio, e 101, em 12 de maio. Desde o dia 31 de março, quando foi realizada a primeira operação na cidade, 760 pessoas foram retiradas das ruas: 591 adultos e 169 crianças e adolescentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.