No script de 'Julie & Julia'

O filme ainda não estreou no Brasil, mas os blogueiros foodies conheciam a história. Os três se animaram imediatamente. Escolheram as receitas dos livros sugeridos e discutiram os ingredientes. Vitor Hugo, do blog Prato Fundo e químico por formação, entusiasmado pela cozinha molecular, mora em Londrina. Teve dificuldade para encontrar pato e coelho, as primeiras opções no livro de Heloisa Bacellar Cozinhando para Amigos. Acabou ficando com o vitello tonatto. Desconfiou dos ovos crus da receita. Mas foi convencido pela facilidade e sabor: "A carne e o molho, isoladamente, não são tudo aquilo... Mas juntos, não é que funcionou?" Animou-se e fez, também, os palmiers de manjericão, que estão na capa do Paladar.

O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2009 | 02h08

Rogério Moraes, do Amuse Bouche, viaja, profissionalmente, quase metade do ano ao Japão, Holanda e Inglaterra, mas quando está em São Paulo gosta de cozinhar e escrever. O blog surgiu do prazer de ficar em casa, um tesouro para quem está sempre em trânsito. Tirou do livro de Wilma Kövesi Receitas para Todo Dia e para os Outros Também um coelho à provençal. No sábado de sua produção, mandou um e-mail às 2 da manhã, um pouco ansioso: "Já está na marinada, vai ser o almoço de amanhã da família. Será que está ok?" Estava.

Eduardo Luz, do blog Da Cachaça pro Vinho, fez seu jantar habitual de terça-feira com receitas do livro 400 g - Técnicas de Cozinha, de Beth Kövesi, Carlos Siffert, Carole Crema e Gabriela Martinoli. Eduardo é cozinheiro amador dedicado, reúne os amigos toda semana e produz jantares que viram posts, com fotos de Débora, sua mulher. Além das vieiras, fez uma entrada, a basler meshluppe, sopa típica de Basileia, na Suíça, e uma sobremesa, crème caramel. "A Julie fez todas as receitas em um ano. Optei pelo minimalismo, fiz várias receitas numa noite, capisce?"

Pelos comentários dos posts que publicamos aqui (e estarão nos devidos blogs, na integra), os livros foram eficientes. Agora é esperar o Vitor & Heloísa ou o Eduardo & Beth & Carlos & Carole & Gabriela, ou talvez o Rogério & Wilma, embora nenhuma dessas parcerias da cozinha virtual soe tão eufônica quanto Julie & Julia, convenhamos.

"Vitor & Helô"

http://pratofundo.com

A produção foi uma aventura. Trocas de e-mails, sugestões de ingredientes, escolha das receitas. O mais difícil foi ficar quieto. Não poder contar nada para o pessoal do Twitter foi complicado. As receitas, uma clássica italiana, o vitelo com um molho "à la" maionese de atum e anchovas, e a segunda, que posso dizer, mezzo francesa e mezzo italiana. O processo de preparo não exige muito esforço.

Já começou com algo promissor: manjericão. Extremamente simples e com poucos ingredientes. Mas? a massa folhada pronta pode dar algum trabalho se o dia estiver muito quente ou se sua geladeira não for lá muito eficiente. Uma das lâminas da massa ficou tão mole, mas tão mole que, quando fui desenrolar, se desfez em minhas mãos. Ficou toda recortada nas dobras, uma tristeza.

A vitela pode ser substituída por lagarto. Troquei depois de rodar a cidade toda e não encontrar vitela. Confesso que fiquei meio receoso, pois o molho é à base de peixe. Carne vermelha com peixe? E ainda mais anchova? Será que combina? Outro detalhe, o uso de ovos crus - o terror para quem estudou microbiologia na faculdade. Adoro ovo frito com gema mole, mas cru... Com essas dúvidas na cabeça, fui cozinhar disposto a abrir os horizontes. Prefiro fazer as marinadas em saco plástico, fica mais fácil para mexer e o contato com o líquido é maior. Experimenta aqui e ali, acerta o tempero... Então, chega o momento de degustar tudo junto? A carne precisa do molho; e o molho, da carne. Os dois se complementaram.

"Edu & Beth & Carlos & Carole & Gabriela"

http://eduluz.wordpress.com

Vieiras à la nage thai com maxixe refogado e arroz jasmim. Maxixe? É , escolhi maxixe porque nunca comi e achei que acompanharia perfeitamente um prato de frutos do mar. E maxixe deve ser simples, não é mesmo? Facílimo de fazer, basta raspar os espinhos com uma faca , cortar em rodelas finas e refogá-las numa base de alho picado e cebola "suados" com o acréscimo de pimenta dedo de moça temperadas com sal e pimenta.

E as vieiras também são fáceis de fazer. Exatamente como a Julia adorava. Só não sei se ela gostaria do sotaque thai do prato. Mas, até aí, esta noite sou eu quem escolhe. Então? Sensacional. E com um sabor thai acentuado e perfumado.

Aí, foi só montar esta beleza de prato com o maxixe refogado (parece um pepino light, se é que isso é possível), o arroz jasmim, o molho bem ralo e temperado e elas, as Julie & Julia da noite, as vieiras. Uma grande noite para uma grande ideia (a da Julie). Nos vemos na tela!

"Rogério & Wilma"

www.amusebouche.com.br

O livro se divide em duas partes: "receitas para todo dia", relativamente simples (nem por isso menos criativas) e "receitas para nem todo dia", um pouco mais sofisticadas. Como não é todo dia que o Paladar me faz um desafio, optei pelo coelho à provençal. Foi a primeira vez que fiz um coelho. Apesar de adorar, nunca me dera ao trabalho de procurar no supermercado, escolher, tentar preparar. Para mim, sempre foi pedida de restaurante.

Aí é que está o bom do desafio: uma carne que nunca cozinhei e uma receita que não conhecia. Segui todas as recomendações - muito precisas - com rigor. O resultado agradou muito. Mesmo às crianças, que até então tinham pudor de comer coelho e depois ficar sem chocolate na Páscoa! A única diferença com relação ao original foi eu acrescentar uma xícara a mais de vinho branco durante o cozimento: a carne estava secando e ainda não estava macia, no ponto. Para acompanhar, arroz com brócolis e uns tomatinhos que resolvi assar, só para dar mais colorido. O livro está frequentando minha cozinha. Algumas páginas já receberam respingos de ingredientes e anotações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.