No vermelho-vivo, o sangue da ninfa

Um dia, Zeus estava tão destemperado que seus gritos reverberavam furiosamente pelas montanhas de Creta. Assustada, a ninfa Ida resolveu ir ao monte mais alto da ilha colher framboesas para acalmar a pequena fera. Na pressa, acabou arranhando o seio nos espinhos do arbusto e seu sangue respingou nas frutas, tingindo-as permanentemente de vermelho-vivo. Segundo Alan Davidson, em Oxford Companion to Food, os gregos antigos partiram dessa bela lenda mitológica para explicar por que as framboesas são vermelhas - embora hoje elas existam numa gama de cores que vão das claras às bem escuras. O Monte Ida, em Creta, onde teriam surgido as primeiras framboesas, foi batizado em homenagem à ninfa Ida, que também inspirou o nome científico da fruta da família das rosáceas, Rubus idaeus.

Cíntia Bertolino,

26 Novembro 2009 | 09h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.