Nos EUA, 40% das clínicas permitem que casal escolha sexo do bebê

Mais de 40% das clínicas de fertilidade dos Estados Unidos permitem que casais escolham o sexo de seu bebê, segundo publicou a revista New Scientist. A pesquisa, que foi divulgada pela organização Genetics and Public Policy Center (GPPC) em Washington, nos EUA, constatou que, das 415 clínicas de fertilidade do país, 186 permitem que pais escolham o sexo dos filhos.O método, chamado de diagnósticos genéticos pré-implantação (pre-implantation genetic diagnosis - PGD) foi originalmente criado para detectar doenças graves no embrião. O processo típico começa com a remoção de uma célula de um embrião de três dias, que depois é examinada e chega-se a uma conclusão das anormalidades e mutações específicas dos cromossomos.

Agencia Estado,

30 de setembro de 2006 | 14h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.