Nos EUA, aluno faz 24 reféns na escola e depois tenta suicídio

Um estudante de 15 anos tomou como reféns 23 colegas e um professor, na segunda-feira, em um colégio de uma pequena cidade do Estado de Wisconsin, nos Estados Unidos. Quando a polícia cercou o local, ele disparou em si mesmo. Nenhum dos 24 reféns ficou ferido.

REUTERS

30 de novembro de 2010 | 07h32

O garoto, identificado apenas como um aluno do colégio da cidade de Marinette, foi levado às pressas para o hospital local, segundo o chefe de polícia, Jeff Skorik. Não ficou claro o estado dele.

Skorik disse que a polícia foi enviada para a escola ao ser informada de que o suspeito manteve os reféns sob a mira de uma pistola havia cerca de quatro horas.

Depois que quatro reféns foram soltos, os policiais que cercavam a escola escutaram disparos e correram para a sala de aula.

"Eles viram o suspeito com as mãos ao lado do corpo, aproximaram-se dele e, nesse momento, ele levantou a arma e atirou em si mesmo", disse Skorik à Reuters.

A polícia recolheu duas armas -- um revólver calibre .22 e uma pistola semi-automática 9mm -- além de munição, e disse não ter ainda informações sobre o que levou o rapaz a fazer isso. A cidade de Marinette tem 12 mil habitantes.

(Por John Rondy)

Tudo o que sabemos sobre:
VIOLENCIAEUAESTUDANTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.