Notas falsas apreendidas em SP somam R$ 600 mil

Os dois homens que carregavam notas falsas e foram presos em flagrante na tarde de hoje em Higienópolis, bairro nobre de São Paulo, produziram cerca de 12 mil cédulas de R$ 50,00 do modelo colocado recentemente em circulação. O balanço da apreensão contabilizou R$ 600 mil.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

13 Junho 2011 | 20h23

O empresário luso-brasileiro Israel Mendes da Silva, de 32 anos, e o taxista Roney do Rosário Cunha, de 37, foram detidos quando deixavam uma churrascaria na Avenida Angélica.

Integrantes da Delegacia de Repressão a Desmanches Ilegais (Divecar), responsáveis pela ação, investigam a utilização do material em golpes.

Segundo o delegado Wuppslander Ferreira Neto, os policiais tentavam identificar os especialistas no golpe do super-paco há três meses. A ação consiste em entregar um pacote com tarjas do Banco Central e notas novas. Como o material é bem confeccionado, as vítimas acabam confiando na transação e, devido à quantidade de notas sendo entregue em local público, poucos abrem o pacote para contar, explica o delegado.

O taxista admitiu que seu objetivo em São Paulo era faturar R$ 2 mil no golpe, mas não revelou qual seria o alvo. Ele afirmou que as cédulas falsas foram produzidas em Pernambuco. Já o empresário disse não saber do golpe e que queria apenas trocar dinheiro por dólares, com o objetivo de ganhar uma comissão como intermediário. Ambos foram autuados por crime de moeda falsa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.