Nova arma elétrica pode fazer até 3 disparos sem recarregar

A Anistia Internacional afirma que ocorreram 351 mortes ligadas ao uso de tasers nos EUA desde 2001

Associated Press,

27 Julho 2009 | 17h44

A companhia Taser International apresentou sua nova arma atordoadora, o primeiro novo modelo desde 2003, nesta segunda-feira, 27. Trata-se de um dispositivo capaz de  aplicar choques elétricos a até três pessoas, sem necessidade de recarga.   Armas taser mais antigas, amplamente usadas pela polícia nos Estados Unidos, têm de ser recarregadas depois de cada tiro, o que pode ser problemático se o policial erra o disparo, ou tem mais de um suspeito para subjugar.   O principal executivo da Taser, Rick Smith, e seu irmão, Tom Smith, apresentaram a nova arma a centenas de policiais e distribuidores, durante uma convenção anula da empresa.   "Este é um passo tão grande como quando as armas de fogo foram do mosquete para o revólver", disse Rick Smith.   O novo modelo da arma custa US$ 1.799, contra US$ 799 da versão antiga. Smith disse que as agências policiais podem trocar os modelos velhos pelos novos, obtendo um crédito de até US$ 800 na compra.   A nova arma taser pode atingir um alvo a até 10,7 metros. É um aparelho grande, mas pesa apenas cerca de um quilo.    Embora a arma seja vendida como um dispositivo não letal, grupos de defesa dos direitos humanos alegam que os tasers podem causar ataques cardíacos. O porta-voz da empresa, Steve Tuttle, disse que a companhia foi vitoriosa em 96 de 97 processos abertos contra ela por mortes supostamente causadas pelo produto.   A Anistia Internacional afirma que ocorreram 351 mortes ligadas ao uso de tasers nos EUA desde junho de 2001, e que a maioria dos mortos não estava armada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.