Nova edição de dicionário da ABL tem 56 correções

Vocábulos com o prefixo re, que na edição anterior apareciam com hífen, agora são escritos sem ele

José Maria Mayrink, de O Estado de S. Paulo,

15 Janeiro 2009 | 09h40

A Academia Brasileira de Letras (ABL) lançou nesta semana pela Companhia Editora Nacional, com 56 correções, a 2ª edição do Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, executada pelo seu Setor de Lexicologia e Lexicografia, com a supervisão do filólogo Evanildo Bechara.   Veja também:  A tabela com todas as correções    A nova edição, com 1.312 páginas e 33 mil verbetes, tem tiragem de 20 mil exemplares e custa R$ 32,90. A 1ª edição, publicada em outubro, ainda pode ser encontrada. A editora incluiu tabela com as correções no site.   Como o Estado adiantou em reportagem publicada no último domingo, vocábulos com o prefixo re, que na edição anterior apareciam com hífen, agora são escritos sem ele – como o verbo reeditar. Além disso, a ABL e a Editora Nacional acrescentaram à errata uma lista mais ampla, que inclui palavras e expressões como ti-ti-ti (em vez de tititi), romeu e julieta (e não romeu-e-julieta). Algumas perdem o hífen, outras ganham.   O Dicionário Escolar traz textos sobre história e as atividades da ABL, histórico da língua portuguesa, explicação sobre a formação do léxico português, estudo sobre o verbo e as regras do acordo ortográfico, que vigora deste 1º de janeiro. Ao lado da grafia, cada verbete tem a divisão silábica, ortoépia (pronúncia correta das palavras) e exemplos de uso, áreas de conhecimento, regionalismos e neologismos.   A ABL atualizou também o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp), que será lançado na primeira semana de março pelo Editora Global. Com 370 mil palavras, substituirá a edição de 2004. Além de se enquadrar nas regras do acordo ortográfico, incorporará mais de 10 mil novos verbetes.   O Volp poderá ser consultado no site da ABL. A diferença entre ele e o dicionário é que só dá a grafia correta da palavra e sua classificação gramatical. Os dicionários tradicionais também estão sendo lançados em novas edições com as mudanças do acordo.   A partir da edição do dia 25, o Estado trará aos domingos, no Vida&, uma coluna assinada por Bechara. Nela, o acadêmico responderá às perguntas dos leitores a respeito do acordo ortográfico. Para sugerir temas, envie e-mail para vidae@grupoestado.com.br.

Mais conteúdo sobre:
educaçãolíngua portuguesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.