Nova espécie de inseto pode ser útil no controle de pragas

Ele foi descoberto em Minas Gerais, por pesquisadores da[br]Embrapa, e tem potencial de uso no cultivo de milho

Luiz Gallo, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2008 | 01h40

Uma espécie de inseto recém-descoberta pela Embrapa Milho e Sorgo pode contribuir para o controle de pulgões, pequenos artrópodes, broca-da-cana e duas pragas que causam sérios problemas ao milho: a lagarta-do-cartucho e a Diatraea saccharalis.Registrado na Revista Brasileira de Entomologia em dezembro de 2007, o inseto foi batizado como Uncla ivancruzi, em homenagem ao coordenador da equipe que encontrou o inseto, o pesquisador e doutor em entomologia Ivan Cruz. Segundo ele, a espécie foi encontrada dentro da Embrapa Milho e Sorgo, em Sete Lagoas (MG). Agora, está sendo pesquisada para ser usada no controle biológico. "Queremos ter a exata noção do potencial da espécie", conta Cruz.O Uncla ivancruzi pertence à classe dos crisopídeos, principais agentes de controle biológico de pulgões. Esse novo inseto tem, porém, um diferencial em relação a outras espécies de sua classe. Ele faz a postura em forma de cachos, sendo que, em cada postura, são depositados de 20 a 30 ovos. "Os demais membros da classe costumam fazer a postura de um ovo, o que torna a disseminação muito mais lenta."A equipe da Embrapa espera estudar todos os detalhes do inseto até janeiro de 2009, para então transferir a tecnologia para biofábricas e para o produtor. Outro dado importante para a pesquisa é a divulgação da nova espécie para saber onde ela é encontrada. "Não sabemos ao certo onde ele é encontrado, por isso precisamos da ajuda de pesquisadores e produtores de todo o Brasil, que, ao identificarem a espécie, nos avisem."Com a descoberta, Cruz diz que pretende divulgar os benefícios do controle biológico entre os produtores. "O Brasil já possui algumas biofábricas, mas o produtor ainda não tem conhecimento sobre esse tipo de controle, que serve tanto para pequenas hortas como para grandes lavouras. Muitos ainda acham estranho usar insetos para tratar a plantação." INFORMAÇÕES: Embrapa, www.cnpms.embrapa.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.