Nova técnica de radar poderá prever tempestades com precisão

Um projeto do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica (NCAR), dos EUA, prevê o uso de diversos radares para rastrear o vapor de água na baixa atmosfera. O acompanhamento dessa umidade deverá ajudar os meteorologistas a determinar o local e o horário de tempestades que ocorrerão minutos ou horas após a coleta dos dados.O projeto é chamado "Refractt" (Experimento de Refratividade para Pesquisa de H2O e Transferência de Tecnologia Colaborativa e Operacional). Os pesquisadores medem a mudança na velocidade de sinais de radar provocada pela refração, o que, por sua vez, revela a presença ou ausência de umidade no ar. "Ninguém jamais viu dados de resolução tão alta sobre umidade antes. Acreditamos que isso poderá ajudar os meteorologistas a prever onde cairão chuvas pesadas", disse a cientista Rita Roberts, principal pesquisadora do Refractt. O projeto está em andamento até 11 de agosto. Além de quatro radares, estão envolvidos modelos de computador, satélites, balões meteorológicos e sensores de GPS. Grandes diferenças de umidade podem ajudar a produzir fortes tempestades, mas a localização exata dessas diferenças é, geralmente, difícil de identificar. Os radares meteorológicos atuais detectam chuva e vento, mas não vapor.Quando usam radares para monitorar tempestades, meteorologistas geralmente acompanham sinais que são refletidos por pingos de chuva, pedras de granizo ou flocos de neve. A intensidade do reflexo indica a força da tormenta, e a mudança na freqüência do sinal indica a velocidade do vento. No Refractt, os cientistas estudarão uma terceira variável: a velocidade dos sinais de radar, modificada pela refração causada pela umidade. Os dados serão traçados num mapa que mostrará onde o vapor está.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2006 | 14h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.