Nova técnica usa gordura para reconstruir mamas

Uma técnica que prevê a retirada de gordura da barriga, nádegas ou coxas poderá ser uma nova opção em cirurgias plásticas de reconstituição das mamas. O novo procedimento, detalhado na revista Chemistry and Industry Magazine, consiste da extração de uma mistura de gordura com células-tronco, por meio de uma lipoaspiração que dura apenas uma hora. Uma vez injetadas na mama, as células-tronco estimulariam a irrigação sangüínea local, formando um tecido que, em até seis meses, preencheria o seio. A nova técnica poderá ajudar mulheres que desejam reconstituir as mamas após serem submetidas à mastectomia, cirurgia para a retirada parcial ou completa do seio, decorrente de remoção de tumor. Caroço O uso de gordura dos próprios pacientes na reconstrução de algumas partes do corpo é prática comum nas cirurgias plásticas, mas as reconstituições normalmente não têm bom resultado porque a gordura é simplesmente absorvida pelo organismo. Para a empresa americana Cytori Therapeutics, que está desenvolvendo a técnica, o segredo do sucesso está na utilização das células-tronco derivadas da gordura. Até agora, o tratamento foi feito com 19 mulheres no Japão que haviam sofrido mastectomia parcial. Segundo os cientistas, todas elas responderam bem aos testes. Os cientistas vão continuar testando a nova técnica, que, se aprovada, deve chegar à Europa no início de 2008 e poderá ser uma concorrente do silicone nas cirurgias de aumento das mamas. Cirurgiões plásticos britânicos, no entanto, já se manifestaram céticos em relação ao novo procedimento, argumentando que o implante de gordura pode causar complicações, dando à nova mama a aparência de um caroço.

BBC

09 Julho 2007 | 18h25

Mais conteúdo sobre:
mama lipoaspiração células-tronco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.