Nova York namora seu novo SoHo

Williamsburg não tem frescura e ostentação. Seus moradores, os hipsters, são jovens, rebeldes, gostam de arte e preferem apelidos. O bairro, mais barato que Manhattan, está na moda e seu jeito de ser é sucesso

Michelle Alves de Lima, NOVA YORK, Especial para o Estado ,

24 de junho de 2010 | 09h44

Reduto foodie. No Bedford Cheese Shop há mais de 150 tipos de queijos de pequenos produtores da Europa e dos EUA

 

 

No fim dos anos 80, Williamsburg foi adotada por artistas que se mudaram para o bairro, no Brooklyn, de olho em alugueis mais baixos que os de Manhattan. Hoje dividem espaço com os hipsters, como são chamados homens e mulheres, na faixa dos 20 aos 30 anos, apreciadores de arte, que valorizam o pensamento independente e são avessos aos valores instituídos pela sociedade.

 

O jeito de ser e de viver desses jovens que se vestem com roupas vintage despertou a curiosidade de muita gente, inclusive dos turistas, e transformou Williamsburg no lugar da moda. Ainda assim, o senso de comunidade que existia entre os donos de bares e restaurantes do bairro não se perdeu. Continuam valorizando os produtos locais e evitam o surgimento de grandes redes.

 

"A gente se ajuda, se protege", diz a brasileira Fabiane Lima, dona do café Fabiane’s. "Acho que em cinco anos Williamsburg será o novo SoHo."

 

Marlow & Daughters. Neste misto de empório e açougue existe a preocupação de não desperdiçar nenhuma parte dos animais abatidos. Com a filosofia "from nose to tail", é fácil encontrar cortes incomuns de boi, carneiro, coelho, porco e frango. Os proprietários Andrew Tarlow e Mark Firth abriram o açougue para controlar a carne servida no restaurante Marlow & Sons

 

 

O clima amistoso e criativo do bairro motivou os irmãos Rick e Michael Mast a abrir uma fábrica e uma loja de chocolates no bairro, a Mast Brothers Chocolate. "Já morávamos aqui e sempre gostamos desse jeito de ‘faça você mesmo’ de quem frequenta Williamsburg", diz Rick.

 

Os irmãos de olhos claros e barba ruiva começaram a fazer chocolate há cerca de cinco anos, mas a marca com o nome da família, que vem de Iowa, só nasceu há três. Os primeiros testes começaram no apartamento onde moram, no próprio bairro. Hoje, os Masts produzem 3 mil barras de chocolate amargo por semana, cerca de 210 kg.

 

A produção começa com a escolha das amêndoas de cacau, que ficam em sacas espalhadas pela loja. Vêm de Madagáscar, da República Dominicana e de três diferentes regiões da Venezuela.

 

 

Radish. Charmosa loja-delicatessen com pães, picles e chocolates feitos no bairro. Também tem boa variedade de comida pré-preparada e sanduíches

 

 

"É o crème de la crème do cacau. E todos são orgânicos", diz Rick, o irmão mais velho. "Estamos estudando a ideia de usar cacau da Bahia. Fizemos um teste e o sabor é de caramelo puro."

 

As amêndoas de cacau são torradas no forno que os irmãos trocaram com os donos do açougue Marlow & Daughters. "Trocamos por chocolate", diz Rick.

 

Outro reduto foodie de Williamsburg é o Bedford Cheese Shop, onde você encontra mais de 150 tipos de queijos vindos da Europa e dos Estados Unidos. Lá, não são só os produtos que atraem clientes mas também as bem-humoradas descrições redigidas pelos cheesemongers (os especialistas em queijos). "Você deveria pular em cima do balcão para nos dar um beijo por trazermos este queijo para você. Ele é robusto e tem um leve toque de avelã e carvalho. Deve ser saboreado com uma borbulhante cidra", sugere a placa fixada no Flixer, feito de leite de ovelha por apenas um produtor na Suíça.

 

"Nossa proposta é servir só produtos artesanais e de pequenas fazendas. Não temos nenhuma grande marca", diz o cheesemonger Christopher Hanawalt.

 

 

Sea. O restaurante tailandês ficou famoso ao aparecer em um episódio da série 'Sex and the City'. Apesar da notoriedade, manteve os preços modestos e a decoração kitsch, com um Buda dourado no salão

 

 

Se a visita for no fim de semana, prove o brunch mais disputado de Williamsburg. Ele é servido no Egg, restaurante de apenas 40 lugares que tem base na culinária sulista norte-americana (conhecida por ter muita fritura e gordura). Os hits do Egg são o eggs rothko, feito com ovos cozidos rapidamente, servidos em uma fatia de brioche e cobertos por queijo cheddar, e o country ham biscuit, que mistura geleia de figo caseira, presunto e cheddar, acompanhados por uma porção de canjica. Nos fins de semana, o café da manhã começa às 9h - e é bom chegar cedo.

 

Utensílios de cozinha charmosos, como a tábua de carne em forma de porco ou baleia, panelas e acessórios feitos em argila e caçarolas Le Creuset são encontrados na simpática Whisk, que, assim como restaurantes e outras lojas da região, segue o movimento dos entusiastas da produção local, oferecendo em suas prateleiras acessórios para a casa feitos à mão por artistas da vizinhança. Entre os best-sellers da loja está a bacon marmalade, artesanal, combinação de bacon, açúcar, água, vinagre e "ingredientes secretos".

 

Antes de sair do bairro, tome um café no Blue Bottle, coffee bar californiano inaugurado ali há dois meses, que serve apenas cafés recém-moídos. O mais interessante é o café gelado ao estilo de Kyoto, feito em sifões japoneses, num processo que leva até 24 horas. O café concentrado é diluído sobre o gelo, diferente dos que você já provou.

 

 

Van Leeuwen. Não é raro ver uma fila em frente ao caminhão amarelo-pastel estacionado na Bedford Avenue. Trata-se do sorvete artesanal itinerante Van Leeuwen, dos irmãos Peter e Ben Van Leeuwen. Criado em 2008, tem 12 sabores, como o earl grey. O mais vendido é o de baunilha - feito com favas envelhecidas por três meses em barris de carvalho

 

 

 

NÃO PERCA!

 

O queijo Holzer Flada

No Bedford Cheese Shop - 229 Bedford Avenue, 00/xx/1/718/599-7588

 

Os embutidos locais

No Marlow & Daughters - 95 Broadway, 00/xx/1/718/ 388-5700

 

Chocolate com flor de sal

No Mast Brothers Chocolate - 105A North 3rd Street, 00/xx/1/ 718/388-2625

 

Os eggs rothko

No Egg - 135 North 5th Street, 00/xx/1/718/302-5151

 

Os acessórios artesanais

No Whisk - 231 Bedford Avenue, 00/xx/1/718/ 218-7230

 

Café ao estilo de Kyoto

No Blue Bottle - 160 Berry Street

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.