Nova York proíbe a gordura trans nos restaurantes

O Conselho de Saúde da cidade de Nova York aprovou nesta terça-feira, 5, em votação unânime, a proibição do uso de gorduras trans artificiais nos restaurantes - norma que vale do boteco da esquina à confeitaria mais chique. O conselho, no entanto, relaxou os prazos previstos na proposta inicial: os restaurantes serão proibidos de usar diversos óleos de fritura em 1º de julho, e terão de eliminar de vez a gordura trans até julho de 2008.Representantes do setor da alimentação consideraram a medida desnecessária e inconveniente."Não achamos que uma agência de saúde municipal tenha a função de proibir um produto aprovado pela Administração de Drogas e Alimentos", disse Dan Fleshler, porta-voz da Associação Nacional de Restaurantes, referindo-se à FDA, que regulamenta o mercado de comida e remédios em todos os Estados Unidos.Há evidência científica de que a gordura trans eleva o nível de colesterol ruim no sangue, e reduz o de colesterol bom. Ela é usada em diversas aplicações culinárias, como fritura, e em alimentos industrializados, por razões econômicas, já que é mais barata e fácil de conservar e manusear.O conselho tomou outra decisão que vai desagradar aos donos de restaurante:os estabelecimentos que quiserem informar os clientes do conteúdo de calorias dos alimentos terão de apresentar o número no cardápio.

Agencia Estado,

05 de dezembro de 2006 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.