Nova Zelândia confirma 71 mortes; ainda há desaparecidos

O número total de mortes confirmadas no terremoto da Nova Zelândia estava em 71, com a recuperação de mais corpos nesta quarta-feira, mas não se sabia ainda quantas pessoas podiam estar presas nos prédios destruídos em Christchurch.

ADRIAN BATHGATE, REUTERS

23 de fevereiro de 2011 | 15h32

O primeiro ministro John Key afirmou que o país deve estar preparado para o aumento do número de mortos em decorrência do terremoto de intensidade 6,3 que pôs abaixo grande parte da segunda maior cidade do país na terça-feira.

"O número oficial é 71. Esse número vai aumentar hoje e amanhã", disse Key ao Televison 3.

Equipes de resgate vasculharam os destroços em busca de sobreviventes, mas nenhum foi encontrado.

O ministro da Defesa Civil John Carter afirmou que as notícias iniciais de até 300 desaparecidos eram especulação.

Foi declarado estado de emergência no país e a cidade central teve toque de recolher, com soldados patrulhando as ruas em veículos blindados.

Milhares de pessoas passaram uma segunda noite nos abrigos de emergência montados nas escolas, ginásios e numa pista de corrida.

A cidade foi atingida por mais de 100 tremores secundários desde o abalo inicial, de 6,3 graus, causando mais destruição.

(Reportagem adicional de Mantik Kusjanto em Wellington)

Tudo o que sabemos sobre:
NOVAZELANDIADEPOISDOTERREMOTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.