Novo leilão de 4G terá exigência de conteúdo nacional

O governo vai manter no próximo leilão de Internet móvel de quarta geração (4G) exigência de um percentual mínimo de conteúdo nacional para as operadoras que vencerem a disputa, prática que já adotou no ano passado no primeiro leilão dessa tecnologia.

Reuters

09 de abril de 2013 | 11h36

"Ainda não sei o percentual, mas a exigência vai continuar", disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, a jornalistas, após participar de audiência pública no Senado.

O leilão de 4G na faixa de 700 megahertz deve ocorrer no início do ano que vem. A exigência deve contemplar equipamentos fabricados no Brasil e tecnologia nacional, a serem adquiridos pelas operadoras que vencerem a disputa pelas faixas de frequência.

Durante a audiência no Senado, Paulo Bernardo disse ainda que o governo está estudando medidas para baratear o acesso à banda larga via satélite, principalmente para populações que moram em regiões mais isoladas.

"Discutimos que medidas podemos adotar para baratear acesso via satélite. De repente baixar imposto. O receptor já foi desonerado (...) ainda dá para tirar imposto sobre o serviço que é prestado", disse Bernardo durante a audiência na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado.

Mais cedo, o governo publicou decreto desonerando de PIS e Cofins celulares inteligentes fabricados no país e que custem no varejo até 1.500 reais.

(Por Leonardo Goy)

Tudo o que sabemos sobre:
TELECOMLEILAOQUATROGNACIONAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.