Novo tipo de violência atormenta mundo dos games online

Jogadores violentos agridem e até armam emboscadas para outros usuários

Agencia Estado

06 de julho de 2007 | 16h24

Um novo tipo de violência na internet conhecido pela expressão em inglês "griefer" está superando outras formas de agressão na Web e no mundo jogos online, afirma um pesquisador da área de saúde.Diferente de ataques pela internet que ocorrem via mensagens instantâneas e celulares, os griefers promovem atos de agressão via jogos online, atacando suas vítimas ou atormentando outros jogadores nos games."Os griefers fazem emboscadas contra suas vítimas e as atacam pelos jogos", disse a doutora Sally Black, professora assistente da área de serviços de saúde da Universidade Saint Joseph, na Filadélfia."Eles promovem sofrimento, humilhação e depreciação", acrescentou a pesquisadora.Os mundo dos jogos online multiplayer tornou-se imensamente popular, com jogadores disputando em games como World of Warcraft, RuneScape e Everquest."Eu pessoalmente acredito que esses são jogos viciantes porque os jovens passam muitas horas por dia neles, colocando suas vidas basicamente em função de jogos como World of Warcraft e Warhammer", disse Black. "Eles têm forte conteúdo de natureza violenta e muita sexualidade", acrescentou.A Associação Americana de Medicina anunciou no mês passado que muitos classificam o uso de videogames como um comportamento viciante. A entidade acabou minimizando a questão, mas pediu mais pesquisas sobre os efeitos dos videogames e do uso da Internet sobre as pessoas.Estudos anteriores não vincularam diretamente a exposição de crianças à mídia violenta com aumento de agressividade e mal comportamento delas.A pesquisa de Black sobre crianças e agressões inclui um estudo de caso, atualmente sendo avaliado, de um menino de 12 anos cujo comportamento mudou depois que passou a jogar videogames multiplayer pela internet, categoria conhecida pela sigla em inglês MMORPG.Ela afirma que testemunhou mudanças em seus estudantes, seus filhos e amigos deles e acredita que a indústria de games deveria começar a controlar suas atividades em relação às crianças, como acontece atualmente com produtos de tabaco e álcool. "É como um pai tentando lutar contra o cigarro e o álcool. É muito difícil (se livrar do vício)", disse a pesquisadora.

Tudo o que sabemos sobre:
MMORPGJogos Online

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.