Novos ministros vão negociar cargos com partidos

A negociação dos partidos aliados para composição do governo da presidente eleita Dilma Rousseff passará a ser feita pelos futuros ministros da Casa Civil e das Relações Institucionais.

REUTERS

26 de novembro de 2010 | 19h52

A informação é do presidente do PT, José Eduardo Dutra, e do atual ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

Dutra, que faz parte da equipe de transição de governo, ouviu as demandas das legendas que apoiaram a eleição de Dilma e produziu um relatório para a presidente eleita.

A missão agora caberá a Antonio Palocci, que será anunciado em breve ministro-chefe da Casa Civil, segundo fontes, e ao futuro ministro de Relações Institucionais, que ainda não foi definido.

Padilha disse que não há data para o anúncio dos nomes restantes para o ministério de Dilma apesar de o vice-presidente eleito Michel Temer ter dito que o prazo final seria dia 15 de dezembro.

"Quem não estiver calmo, tem que ficar calmo", disse Padilha, reiterando que não discutiu sua posição à frente da pasta.

Padilha, que participou junto com Dutra de seminário do PT em Guarulhos, na Grande São Paulo, alertou que "nenhum partido é dono de ministério".

O ministro admite que as siglas aliadas cresceram nas últimas eleições por isso é natural que façam apresentem reivindicações.

"Mas os cargos no governo federal não aumentaram".

(Reportagem de Carmen Munari)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAMINISTROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.