Número de furacões dobrou em um século, diz estudo

Aumento da temperatura do Atlântico e mudança nos ventos contribuiram, dizem cientistas

Matt McGrath, BBC

30 Julho 2007 | 04h40

O número de furacões no Oceano Atlântico dobrou nos últimos cem anos, de acordo com uma nova análise feita nos Estados Unidos. Segundo o estudo, as temperaturas mais altas da superfície do oceano e mudanças nos padrões de ventos - fenômenos causados por mudanças climáticas - estão encorajando muito desse aumento. Alguns pesquisadores dizem que furacões são cíclicos e o aumento é só um reflexo de um padrão natural. Mas os autores deste estudo afirmam que as alterações não se devem apenas a um comportamento natural. Furacões são redemoinhos de vento que giram em torno de um "olho" de baixa pressão. Nuvens cercam os extremos destas tempestades e elas podem causar muita devastação, afetando pessoas e edificações, quando chegam a terra. Entre os furacões que causaram mais destruição nos últimos anos está Katrina, que atingiu Nova Orleans em 2005. Análises científicas nos últimos anos sugerem que o número de furacões aumentou desde meados da década de 80. Este novo estudo, divulgado na publicação Philosophical Transactions da Sociedade Real de Londres, examina a freqüência destas tempestades de 1900 até agora e diz que o número de furacões formados a cada ano é duas vezes maior se comparado à sua ocorrência há cem anos. Os autores dizem que mudanças climáticas produzidas pelo homem, que levaram ao aumento da temperatura da superfície do oceano, são um fator importante no aumento da formação de furacões. "Durante esse período nós tivemos uma variação natural na freqüência das tempestades, que contribuiu menos de 50% para o aumento real (de furacões) no nosso entender", disse Greg Holland, do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica dos Estados Unidos, no Estado americano do Colorado, e responsável pela pesquisa. "Aproximadamente 60%, e possivelmente até 70% do que nós estamos vendo na última década pode ser atribuído diretamente ao efeito estufa", afirmou. Especialistas dizem que 2007 será uma estação muito ativa, com nove furacões previstos, dos quais cinco deverão ser fortes.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
furacão aquecimento global clima

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.