Número de serviços prestados por redes sociais deve crescer

Há poucos estudos sobre adesão dos pacientes aos portais. Um trabalho pioneiro publicado no mês passado testou o interesse de pais de crianças com doenças crônicas. Criou-se um portal com serviços para pais de crianças com diabete, artrite e fibrose cística. Cerca de 1,9 mil famílias foram convidadas a acessá-lo.

Karina Toledo e Alexandre Gonçalves, O Estado de S.Paulo

05 Junho 2011 | 00h00

Um terço se inscreveu. Metade usou a ferramenta nos três primeiros meses. Cerca de 16% continuaram nos seis meses seguintes. Mas não são só os pacientes que começam a descobrir a Web 2.0. Na rede Sermo (sermo.com) são os médicos que se cadastram para pedir a opinião de outros médicos. No Patient Opinion (patientopinion.org.uk), os ingleses podem criticar os serviços de saúde. Quase 30 mil pessoas já opinaram. Há, ao menos, 125 relatos de mudanças provocadas pelos comentários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.