O CRI-CRÍTICO Diário mal-humorado

Ele não gosta de nada, mas vai ao cinema assim mesmo cri.critico@grupoestado.com.br

O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2013 | 02h09

Uma dica de moda para quem for ao Cinemark do Cidade Jardim: não abuse do visual descontraído. Sem uma pré-produção na frente do espelho, você terá que se desviar de olhares desconfiados dos clientes e até responder a perguntas dos seguranças como "o senhor está aqui a passeio?" O estilo casual por lá é o de passarela. Apareci na última segunda com a barba por fazer, camiseta, tênis e uma jaqueta de chuva (caía o mundo lá de fora) e, sem querer, causei. Deveria ter me arrumado mais para ir a um shopping que nem tem porta de entrada para pedestres. No cinema, gostei do atendimento. Todos são simpáticos, da bilheteria à bonbonnière - onde comprei o macaron mais caro da minha vida. Depois de tantos anos, ainda não entendo direito o conceito VIP. O cardápio é variado. Mas para eu me sentir uma pessoa realmente importante, acho que ele deveria se renovar toda semana. O lobby de espera das salas Prime é amplo e confortável, com muitos assentos e mesas e clima de lounge de balada, acentuado pela seleção musical. Assisti 'A Viagem', na sala 1. Mas a vantagem não é exclusiva: mesmo se fosse às salas convencionais, poderia esperar ali.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.