O desafio de Messi

É sintomático. Sempre que tem oportunidade, Lionel Messi diz que, acima de tudo, é argentino. Foi assim ao ser consagrado no Mundial de Clubes vencido pelo Barcelona. Assim foi ao receber o título de melhor jogador do mundo. Em nenhuma parte do planeta houve contestação à eleição. Ou melhor, teve um lugar em que se pode ver gente torcendo o nariz: a Argentina.

, O Estadao de S.Paulo

26 Dezembro 2009 | 00h00

Parece surpreendente que um povo ultranacionalista tenha desdenhado do prêmio - e olha que é o primeiro argentino eleito o melhor do globo da bola! Claro, não foram todos, mas parte significativa de torcedores, ex-jogadores e jornalistas recebeu a escolha com indiferença. O argumento: Messi não faz, com a camisa da Argentina, a metade do que faz no Barcelona. Verdade, assim como é verdade que a seleção de Maradona jamais jogou alguma coisa.

O motivo das reservas contra Messi é outro: dor de cotovelo pelo fato de ele ter feito sua carreira na Espanha desde criança. Não vestiu a camisa de nenhum time local como profissional. Um pecado. É só conversar com os hermanos para perceber isso.

Para se "redimir", Messi tem de jogar pela Argentina o dobro do que joga no Barcelona. É o que pensam os críticos. Para essa turma intransigente, ou Messi leva a Argentina ao título na África ou provará ser pipoqueiro. Aí está o dilema de um garoto de apenas 22 anos. Resta saber se terá força para levar a seleção nas costas.

Arquivo Estadão

PARABÉNS, FURACÃO! - Jairzinho foi fundamental na conquista do tricampeonato, em 1970, que comemorou abraçando Dario. Ponta-direita, fez gol nos 6 jogos da Copa do México - marcou 7 no total. Jairzinho completou 66 anos ontem, dia de Natal.

Aviso aos navegantes: Dunga não é Papai Noel

É sempre assim. Quando uma Copa vai chegando, vários jogadores começam o lobby para entrar na seleção, até aqueles que haviam "renunciado à amarelinha". Nas últimas semanas, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, vira e mexe, falam do tema - normalmente porque são instigados, registre-se, por questão de justiça. Os aposentados de maneira voluntária Zé Roberto e Roberto Carlos também andaram tentando ciscar no terreiro. Tais pedidos, porém, soam como perda de tempo. Vai ser difícil amolecer o coração de Dunga, mesmo porque não é apenas o futebol jogado que leva alguém à sua seleção. Ronaldinho ainda tem alguma chance, pois Dunga gosta dele. Os outros...

Blatter sai do sério quando o tema é Henry

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, não aguenta mais falar do lance de mão de Henry que ajudou a colocar a França na Copa. Sabe que o assunto não morrerá tão cedo, mas não consegue mais esconder a irritação. Durante o Mundial de Clubes, em Abu Dabi, Blatter perdeu a calma diante da insistência dos repórteres - queriam saber por que não usar imagens para evitar erros absurdos como aquele. "Não insistam nesse tema, por favor", ordenou, de cara amarrada.

Enquete põe Espanha contra Brasil nas oitavas

O adversário do Brasil nas oitavas de final da Copa será a Espanha. É o que aposta a maioria dos internautas na enquete do estadao.com.br. Os atuais campeões da Europa vão enfrentar a seleção para 39,29% dos votantes. Isso ocorrerá se o Brasil for o primeiro do Grupo G e a Espanha, a 2.ª do H, ou o contrário. De acordo com 35,21%, o rival será o Chile, do argentino Marcelo Bielsa. A Suíça vem em terceiro, com 21,23%, e Honduras aparece bem atrás, com 4,27%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.