'O Enem é um instrumento bastante efetivo de política pública'

Joaquim José Soares Neto, presidente do Inep

Luciana Alvarez, O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2010 | 00h00

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio 2010 começam hoje e vão até 9 de julho. O candidato deve se inscrever pela internet (enem.inep.gov.br). Neste ano, o estudante deve optar por uma língua estrangeira, inglês ou espanhol, no ato da inscrição. As provas serão aplicadas nos dias 6 e 7 de novembro. O presidente do Inep, Joaquim José Soares Neto, falou ao Estado por e-mail.

Quantas inscrições o Inep espera receber?

Esperamos um grande número, mas preferimos não apontá-lo e esperar pelo andamento do processo.

A nota do Enem de 2009 continuará válida para as próximas edições do Sisu?

Essa é uma definição a ser feita pelo Ministério da Educação. Tecnicamente, as notas do Enem são comparáveis ao longo das edições.

O estilo de questão será o mesmo de 2009? A TRI continuará valendo?

A Teoria de Resposta ao Item (TRI) continuará a ser utilizada. A TRI busca medir o conhecimento a partir do comportamento observado em testes e permite que as médias obtidas nos exames sejam comparáveis ao longo dos anos. Quanto ao estilo de questões, nossa ideia é aprimorar cada vez mais a estrutura da prova.

Que nível de proficiência em língua estrangeira será cobrado?

O conteúdo cobrado está previsto na Matriz de Referência do Enem 2009, dentro da área de linguagens, códigos e suas tecnologias. A prova de língua estrangeira moderna vai abranger associação dos vocábulos e expressões de um texto ao seu tema; a utilização dos conhecimentos e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informações, tecnologias e culturas; a relação de um texto, as estruturas linguísticas, sua função social e o reconhecimento da produção cultural como representação da diversidade cultural.

Por que um estudante deve prestar o Enem?

Com a reformulação, os principais objetivos foram: democratizar o acesso às vagas federais de ensino superior, possibilitar a mobilidade acadêmica e induzir a reestruturação dos currículos do ensino médio.

Acredita que o Enem está consolidado no País?

Sim. O exame vem evoluindo quanto a seus objetivos e formas de utilização - no início, prestava-se basicamente à autoavaliação, mas hoje é um instrumento de política pública com dois focos: a avaliação da escolaridade básica e a avaliação para o acesso ao ensino superior. O Enem é mais democrático, pois destaca tanto o mérito quanto a impessoalidade e a isenção do processo de seleção. Por isso, pode ser considerado um instrumento bastante efetivo da política pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.