O espetáculo do crescimento

Já está quase tudo pronto - falta só definir o corte, testar o penteado e arrumar uma brecha na agenda do Lula - para a reinauguração dos cabelos naturais de Dilma Rousseff. É promessa de campanha da ministra largar a peruca "assim que o cabelo começar a crescer e ficar mais ou menos do tamanho de um corte masculino". A hora é essa!

Tutty Vasques, O Estadao de S.Paulo

28 de novembro de 2009 | 00h00

A ministra quer dar este presente de Natal a si própria e à equipe que cuida de sua imagem de candidata. Cá pra nós, tem todo o direito de aproveitar o momento mais bonito da luta contra o câncer - o espetáculo do crescimento capilar pós-quimioterapia -, glória pessoal que, no caso, vai naturalmente ganhar as primeiras páginas de todos os grandes jornais do País. Não tem culpa ela se seus marqueteiros projetam para a ocasião o início da virada nas pesquisas, entre outras coisas, diga-se de passagem, por absoluta falta de recursos do principal adversário para promover algo parecido com seus cabelos.

Ô raça!

O torcedor do Flamengo passou, em média, 5h sob sol de 40°C na fila do ingresso no Maracanã e, no entuesanto, reclama de qualquer 2 horinhas sem luz.

Todas iguais

Barraco na Faap recupera imagem da Uniban. Na universidade de São Bernardo, pelo menos, não há notícia de brigas entre professora e aluna por causa de celular. Já na instituição de ensino do Pacaembu...!

Não passarão!

A caminho de Copenhague, ambientalistas de todo o mundo deveriam dar um pulinho na Austrália. Ou será que vão deixar que cerquem com helicópteros e matem a tiros 6 mil camelos silvestres que invadiram um povoado em busca de água?! Deve haver outra solução, cacilda!

Efeito dominó

A Associação Mundial dos Ex-maridos (AMEM) está convocando uma assembleia geral extraordinária para a semana que vem, em Roma. Teme que a pensão alimentícia de 3,5 milhões por mês cobrada pela ex-mulher de Silvio Berlusconi inflacione o mercado com repercussões desastrosas em todo o planeta. Capaz de fazer marolinha no Brasil.

Ditadura com preservativo

Depois daquele certo "sabor de decepção" com Barack Obama, o assessor especial do Planalto Marco Aurélio Garcia anda sentindo no presidente americano muita disposição para introduzir o "golpe preventivo" na América Latina. E, pela cara do Garcia, isso dói!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.