O mais novo (e mais ousado) Rafael Costa e Silva

Aberto há pouco mais de dois meses, depois de uma reforma que deixou no lugar só parte do telhado e a fachada tombada do imóvel de 1920 em Botafogo, o Lasai é o mais novo restaurante gastronômico do Rio e ao mesmo tempo o mais ousado.

O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2014 | 02h08

A valentia do chef não está em invencionices ou nas técnicas que dão origem aos pratos, embora a diminuta cozinha com parede de vidro esteja equipada com tudo a que tem direito uma casa de vanguarda. Está na proposta: 70% dos pratos são vegetais, boa parte deles cultivados em hortas próprias.

A paixão por legumes e verduras, o cultivo de ingredientes e o manuseio mínimo dos produtos são lições que o chef trouxe do Mugaritz, o restaurante de Andoni Aduriz, no País Basco espanhol, 6º lugar no ranking da Restaurant. Ele entrou ali como estagiário e deixou a casa depois de cinco anos, já como o chef executivo.

As heranças do Mugaritz no Lasai são fartas - da parede de acrílico que traz o menu do dia à proporção entre cozinheiros e comensais (são 17 na cozinha para 44 clientes), incluindo a calma do ambiente (lasai significa tranquilidade em basco).

Mas Rafael teve tempo de voltar a ser brasileiro durante o ano que reformou o imóvel. Redescobriu o cará, o inhame e construiu uma rede de fornecedores - as vieiras e o beijupirá são do Kazuo, em Angra; atum e pargo chegam de Santa Catarina; porco, javali e faisão, do Cerrado Carnes, em São Paulo.

Você não precisa prestar atenção em nada disso (e eis aí uma vantagem em relação ao Mugaritz). É só pedir o menu Não me Conte Histórias - entrada, prato e sobremesa a sua escolha, que sai por R$ 155.

Mas se estiver com mais apetite, vale também optar pela degustação completa, com 14 serviços. É uma sucessão fantástica de pratos nada óbvios, impecáveis nos pontos de cocção e sabores. Custa R$ 215, e vem à mesa em porções menores.

Onde.

R. Conde de Irajá, 191,

Botafogo, RJ, (21) 3449-1834

Formado no Culinary Institute of America, em 2004 (onde conheceu a mulher, Malena, hostess do Lasai), Rafael trabalhou nos Estados Unidos até 2007. Passou pelo extinto Vong, de Jean Georges Vongerichten, e pelo Bistrô René Pujol. Dali foi para o Mugaritz, na Espanha, onde entrou como estagiário e saiu chef executivo, cinco anos depois. O Lasai, aberto há dois meses e meio, é seu primeiro restaurante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.