O mesmo lote, o mesmo grão: a vez das cafeterias parceiras

Você pode ir ao Ritual Coffee Roasters, em São Francisco, ou à cafeteria Genot, em Natal. E lá e cá, provar exatamente o mesmo café: grãos de um lote da Fazenda Serra Negra, no Cerrado mineiro. Ou então tomar no Café Grumpy, de NY, o mesmo Chapadão de Ferro servido na Academia do Café, em Belo Horizonte.

17 de fevereiro de 2011 | 12h20

A ideia do Sharing Coffees, projeto do especialista em cafés Ensei Neto em que o mesmo lote é dividido entre cafeterias brasileiras e de fora do País, começou a ser testada no ano passado, quando o Chapadão de Ferro foi compartilhado entre o paulistano Café Suplicy e o americano Ritual Coffee Roasters.

"É interessante porque isso fortalece o relacionamento entre as cafeterias e o consumidor começa a compreender que hoje já se bebe, aqui, café do mesmo nível que os encontrados no exterior. Neste caso, os mesmos", diz Neto, que intermedeia as parcerias. Os próximos parceiros do Sharing Coffee devem ser o japonês Horiguchi Coffee e o canadense Phil & Sebastian.

Tudo o que sabemos sobre:
restaurantegastronomiacaf&eacute

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.